segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Pouco

Sentada sobre todos os sentimentos.
É a mesma janela - não o mesmo céu, nem as mesmas nuvens - é de novo aquela ideia de fugir.
Ser outra.
Quero ser eu.
Com meus vestidos, meu batom, minha tiara e trança.
Quero gostar do que sempre gostei, quero ouvir as músicas que se encaixam, escrever minhas pobres poesias, rir naquela companhia, quem sabe tomar uma dose.
Quero o sol batendo nos meus óculos, o calor dentro do peito, até uma lágrima se isso me fizer sentir.
Não sinto nada.
Só o peso da medíocre vida adulta de trabalhar/pagar e quando você se vê doente, 
nem o dinheiro restou.