quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Tati Bernardi


.

E eu tenho vontade de segurar seu rosto e ordenar que você seja esperto e jamais me perca e seja feliz.
E que entenda que temos tudo o que duas pessoas precisam para ser feliz: A gente dá muitas risadas juntos. A gente admira o outro desde o dedinho do pé até onde cada um chegou sozinho. A gente acha que o mundo está maluco. A gente tem certeza de que nenhum perfume do mundo é melhor do que a nuca do outro no final do dia. A gente se reconheceu de longa data quando se viu pela primeira vez na vida.

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Metáfora


Cade a sintonia dessa tv Querido?
Sintonia auto, sintonia fina
ajusta, dá um jeito nessa tela azul vazia

Tá faltando brilho, nitidez,
Cade a cor? Diminue esse contraste meu amor.
Tira essa tv do mudo, deixa o som rolar,

Arruma até a data e o relógio,
ajusta, e coloca naquele canal
onde tá passando a nossa história de ser feliz.

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Eu não sou sem ele

'' If I ever leave you....you can say I told you so!
And if I ever hurt you baby..... you know I hurt myself as well.

Said I love you
More than you'll ever know..''


Não, não é novo, não era novidade para ela.
Ela o conhece profundamente e se deixa enganar só pra ver aquele sorriso de novo, sentir a euforia em cada poro, e ela quase não se lembra que será novamente golpeada.
E quando acontece de novo e de novo, ela só pensa de onde vem essa força de perdoar sempre, todas as promessas infundadas, as traições e desprezos..
Como lhe dói essa falta de consideração e apreço que ele tem por ela.
Mas sua dor de vê-lo abandonando o barco nunca foi maior que a sua capacidade de ver a luz do sol no horizonte.
E de novo e sempre, e ainda que ela tenha inúmeras filosofias para defini-lo, nenhuma delas deixa de crer,
acreditar nele, no amor.
Que tanto lhe chateia, porém é o vigor de sua essência.

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Caio Fernando Abreu

“Lá está ela, mais uma vez. Não sei, não vou saber, não dá pra entender como ela não se cansa disso. Sabe que tudo acontece como um jogo, se é de azar ou de sorte, não dá pra prever. Ou melhor, até se pode prever, mas ela dispensa.
Acredito que essa moça, no fundo gosta dessas coisas. De se apaixonar, de se jogar num rio onde ela não sabe se consegue nadar. Ela não desiste e leva bóias. E se ela se afogar, se recupera.
Estranho e que ela já apanhou demais da vida. Essa moça tem relacionamentos estranhos, acho que ela está condicionada a ser uma pessoa substituta. E quem não é?
A gente sempre acha que é especial na vida de alguém, mas o que te garante que você não está somente servindo pra tapar buracos, servindo de curativo pras feridas antigas?
A moça…ela muito amou, ama, amará, e muito se machuca também. Porque amar também é isso, não? Dar o seu melhor pra curar outra pessoa de todos os golpes, até que ela fique bem e te deixe pra trás, fraco e sangrando. Daí você espera por alguém que venha te curar.
Às vezes esse alguém aparece, outras vezes, não. E pra ela? Por quem ela espera?
E assim, aos poucos, ela se esquece dos socos, pontapés, golpes baixos que a vida lhe deu, lhe dará.
A moça – que não era Capitu, mas também têm olhos de ressaca – levanta e segue em frente.
Não por ser forte, e sim pelo contrário… Por saber que é fraca o bastante para não conseguir ter ódio no seu coração, na sua alma, na sua essência. E ama, sabendo que vai chorar muitas vezes ainda. Afinal, foi chorando que ela, você e todos os outros, vieram ao mundo.”