domingo, 22 de maio de 2011

Eu sobre mim

Ás vezes eu tenho essa vontade de ficar só comigo; mexer em papéis, arquivos, tudo que é meu; rever meus planos; pesar fatos, pessoas. E sabe o quanto isso me faz bem? Muito.
A verdade dos meus pensamentos fluem quando estou só comigo, e eu gosto desse ''balanço'' que faço do que tá valendo a pena. Hoje depois de estar comigo, me sinto clara, translúcida. E posso dizer que apesar do descontentamento com certos setores eu estou na melhor fase de mim.
Eu alcancei algo que eu sempre quis ter, que até busquei de forma doentia, mas encontrei em mim: fidelidade. Eu a coloquei dentro do meu caráter, hoje eu sou fiel porque eu quero e não porque é certo. E não só fiel em relacionamentos amorosos (que na verdade é a primeira vez que acontece), mas eu estou conseguindo usar fidelidade nos meus trabalhos, nos meus planos, no que eu quero. Eu estou sendo fiel a mim, e eu nunca havia sido.
Eu conheci o amor que tanto me doía não ter: amor-próprio. Eu ainda aceito umas pisoteadas na minha auto-estima de cabeça baixa, mas eu to melhorando, é positivo a forma com que deixei de ter perdão incondicional pelas pessoas, só pra não perder.
Eu me afastei de tudo que era falso, e hoje posso dizer que tenho apenas 3 melhores amigos infelizmente distantes demais e que tenho bons amigos, e a maioria também está longe e o que me conforta é que eu os tenho, eles estão lá perdidos nas capitais, no interiorzão, mas se juntar todo mundo dá um festa!
E eu sonho mesmo, sou sonhadora, tenho um monte deles inviáveis. Mas detesto que julguem assim, são bobos: são meus! E meus planos, pla-ne-ja-men-to mesmo tão aqui, não vou passar o tempo sonhando, tenho bons exemplos que isso não funciona, tanto no material, quanto no romantismo, tenho as duas "moléculas'' vivas no meu DNA, uma está bem, a outra meio descompensada, mas bem melhor.
Seguindo a mesma linha, eu sou romantica mesmo, eu gosto e ponto. Eu não sei ser de outra maneira, embora hoje até eu tenha achado um tanto exacerbado o tempo inteiro, mas é assim que gosto; de conquistar através de letras e exageros. E é sincero.
Hoje eu sou mulher, mais determinada, mais eu. Não tem palpite que mude, não tem conselho que confunda.
É bom organizar, se livrar do que é inútil e ter alvos.
Eu sei onde quero acertar, vou até o fim, no meu limite.

Um comentário:

Gladiston jR. disse...

É sempre importante ter propósitos, seja qual for o seu, tem de buscá-los quão longe e difícil eles tiverem...