sábado, 8 de janeiro de 2011

Eu's Bipolares

Eu me definiria como uma caixinha de sentimentos, um porta-jóias de sensações, amor de ouro, ódios-bijuterias, ciúmes foscos, prata-melancolia..
Acordei realista num mundo de ilusões, com medos e pensamentos vazios de sentido, e com pânico de infinitas mentiras contadas,
Estou embriagada com as minhas próprias crônicas, com ressaca da minha essência.
Não amanheci eu.
Sai fora do contexto da minha história e dentro da verdade do espaço que me encontro, não sou mesma aquela que escreve todos essas linhas, de versos de amor.
Enlouqueci talvez, e se o diagnóstico for certo a história da doença eu já sei:
É a inferioridade enraizada que a sombra cega de preocupação em perde-lo, torna-me uma criatura extravagante, incompreendida por amar demais.


Nenhum comentário: