domingo, 24 de outubro de 2010

Aprazer

Sentir o vento embaraçando meus cabelos,
O sol ofuscando meus olhos castanhos,
Um riso silencioso ao olhar o céu,
Olho para minhas mãos,
sinto meu sorriso se abrir e lembro...
Me lembro de várias histórias,
de pessoas que
significaram tanto e agora perderam o brilho,
me desgastaram,
corroeram,
E digeri cada uma,
senti um pouco de azia.

Terminei.

E não preciso de desprazeres e aborrecimentos,
e me sinto bem agradável ao ver que tudo que me preocupo
é só comigo mesma,
Não quero nenhum peso,
quero companhia e talvez eu encontre isso em você
Você que não sei nem o nome,
nem o rosto,
mas está ai
como eu gosto de acreditar que está.



Um comentário:

Jessica Leme disse...

Talvez falar sobre um dia nos deixe menos triste, talvez.
Não sei até onde nossa carência de tudo nos levará, espero que o presente Divino ao qual sempre nos prometem chegue bem recheado, e consiga suprir tudo o que até hojs nos foi negado...