quinta-feira, 21 de maio de 2009

Felicidade e amor - buscas separadas!

As pessoas vivem procurando um namorado(a) achando que isso lhe trará felicidade. O que é a maior mentira e a pior maneira de se iludir.
Não se pode achar que a felicidade só póde existir se aquela pessoa está com você. A felicidade é uma coisa para ser somada. 'Eu sou feliz e tenho um namorado'. E não 'sou feliz porque tenho um namorado'.
Já vivi nessa de achar que o mundo é aquela pessoa, mas não podemos deixar que o vazio natural do ser humano nos consuma e faça com que viremos dependentes de outro. Não quero mais isso pra mim e não quero ser isso pra alguém.
Todo mundo precisa de alguém ao seu lado, mas DO LADO, nem abaixo e nem acima. E essa é que é a busca dificil. Alguém que a gente admire, que seja companheiro, amigo, amante, brinque, se alegre, se intristeça com você, mas que sempre, sempre esteja do seu lado.
Alguém que é arrogante com seus problemas e não sabe lidar com os dele próprio ainda tem que aprender muita coisa nessa vida.
Para ser tudo na vida de alguém, primeiro você tem que ser tudo pra você. Se você não é inteiro, não sabe se entender, não pode somar com ninguém.
E isso eu já aprendi. Só não sei se já consegui me entender.

terça-feira, 12 de maio de 2009

Pensamentos Soltos, traduzidos em palavras...

Estou sempre falando nele.
Não é uma pessoa, um nome, é o sentimento.
Sempre fico questionando o que seria certo no amor.
Eu não gosto de admitir isso, mas sou o tipo de apaixonada que faz tudo quando está realmente afim. Não sei até onde isso me prejudica ou me faz feliz.
Mas me considero uma louca quando lembro de tudo que já joguei fora por causa dele, do amor.
E hoje, levando a vida que eu levo, me sinto até uma outra pessoa. Com toda a calma e falta de atitude.
Sempre fui determinada, decidida, um pouco confusa como toda mulher, mas sempre colocando a boca no trombone e fazendo o que queria.
Talvez esteja parada demais, ou amadurecendo, mas como uma lagarta faz para virar borboleta, eu estou fechada no meu casulo, esperando a hora certa para ser alguém.
Uma oportunidade, Sorte, uma coragem de jogar tudo pro alto e ir atrás do que quero.
Só que agora calculado e muito bem pensado.
Eu vou mudar minha vida sim. E pra melhor.

domingo, 10 de maio de 2009

Independente!

Talvez não seja assim tão ruim de se viver.

Reclamo tanto de tanta coisa. E apesar de ser muito orgulhosa não gosto de ficar sozinha.

E ás vezes penso que sou um tanto fraca por não conseguir isso.

Pensando na minha vida eu vejo que nunca fui solteira. Nenhum amor não-correspondido, até sofri sim com isso, mas da pior maneira: não correspondido, mas comigo, junto, do meu lado.

Não sou batalhadora e nem aquele Mulherão que venceu na vida. Mas sou novinha ainda.

Quero sim achar minha estrada, seguir o meu caminho e ter muitas vitórias pra contar e sair por cima de erros que sei que vou cometer por ser 'cabeça dura'.

Não sei de muita coisa e nem quero me apressar.

Mas sim, eu quero ser Independente!

E pra isso tenho que mudar muita coisa na minha cabeça e vencer traumas que passei e que finjo que não mexem comigo, mas ainda me atormentam.

Minha vida tem dois lados. Posso ver ela como uma história bem triste. Mas prefiro pensar que foi tudo muito engraçado.

E estou me sentindo bem, por ver que apesar de serem poucos os momentos, eu fui feliz em muitas fases.

Mas não to procurando felicidade, porque sei que ela é só uma pequena parte do dia, da semana. É só ver uma criança rindo ou uma amiga com uma história engraçada pra contar.

O que eu quero é me sentir realizada, orgulhosa de várias coisas que eu fiz.
E fiz sozinha!


sábado, 2 de maio de 2009

Sem criatividade.

Uma mãe e a sua filha estavam a caminhar pela praia.Num certo ponto, a menina perguntou: 'Como se faz para manter um amor?'
A mãe olhou para a filha e respondeu: 'Pega num pouco de areia e fecha mão com força...'

A menina assim fez e reparou que quanto mais forte apertava a areia com a mão com mais velocidade a areia se escapava.
'Mãe, mas assim a areia cai!!!'
'Eu sei, agora abre completamente a mão...'
A menina assim fez, mas veio o vento levou consigo a areia que restava na sua mão.

'Assim também não consigo mantê-la na minha mão!'
A mãe, sempre a sorrir disse-lhe: 'Agora pega outra vez num pouco de areia e mantém-na na mão semi aberta como se fosse uma conchinha... bastante fechada para protegê-la e bastante aberta para lhe dar liberdade'
A menina experimenta e vê que a areia não se escapa da mão e está protegida do vento.

'É assim que se faz durar um amor... Com delicadeza'

Sei lá quem escreveu.